Any Questions? Call Us: 1-223-355-2214

Psicologia e sua atuação no esporte de alto rendimento

A ciência trouxe contribuições inestimáveis para o esporte de alto rendimento nos últimos anos, especialmente nos aspectos físico, tático, técnico e nutricional. Em um cenário de níveis de performance tão avançados, existe um aspecto que se apresenta como um importante diferencial: a psicologia. O estudo do comportamento humano está intimamente ligado ao esporte, e o trabalho do psicólogo neste nível busca exatamente a otimização da performance.

O desempenho de um atleta, seja em um esporte individual ou coletivo, também está diretamente atrelado a fatores externos. Seja uma carga de estresse, a ansiedade ou mesmo problemas de relacionamento, a psicologia esportiva entra justamente para analisar e transformar estes fatores psíquicos.

O trabalho do psicólogo no esporte depende de um fator básico: o conhecimento dos aspectos característicos do esporte no qual vai atuar. Por mais que as variáveis psicológicas relacionadas ao rendimento sejam as mesmas, cada esporte envolve uma situação específica, e é preciso entender de que forma intervir nestes fatores psicológicos que influenciam no desempenho físico.

O planejamento de um trabalho psicológico no esporte precisa considerar as diferenças individuais. Em um trabalho de grupo, por exemplo, cada atleta possui dificuldades específicas (lidar com a pressão, problemas comportamentais, entre outros). Em esportes individuais, onde o trabalho é mais direcionado, costuma-se dizer que o mental é o aspecto mais importante de um duelo. Mas este fator não pode ser desconsiderado em um esporte coletivo, principalmente em um contexto onde um único descuido pode significar o fracasso de uma equipe.

Aspectos da psicologia no esporte

Neste trabalho de intervenção, a psicologia do esporte atua em várias frentes. Uma delas é a motivação. Muitas vezes, o mau desempenho de um atleta está atrelado à desmotivação, e é papel do psicólogo identificar esta causa e trabalhar nela. O que motiva aquele atleta a estar ali? A família? O dinheiro? O reconhecimento? Este tipo de trabalho pode fazer toda a diferença.

O autoconhecimento e a autoconfiança também fazem parte do trabalho psicológico no alto rendimento. Autoconhecimento no sentido de conhecer seu corpo, suas emoções e seus limites; autoconfiança para confiar no seu próprio potencial e saber lidar com o sucesso e o fracasso. Estes conceitos se interligam ainda com a inteligência emocional, que lida com a concentração, controle da ansiedade e do estresse, entre outros fatores.

O relacionamento interpessoal também faz parte desta rotina. Em esportes individuais este trabalho naturalmente não é comum, mas é de suma importância para uma equipe. Aceitar as diferenças, lidar com as emoções dos colegas, manter os ânimos durante os trabalhos. Todo detalhe faz a diferença.

É claro que a psicologia esportiva não está totalmente dissociada da psicologia clínica. Cada vez mais atletas estão se manifestando a respeito de temas como depressão ou transtornos como a síndrome do pânico e crises de ansiedade.

Jogadores como os futebolistas André Gomes e Mertesacker e os atletas da NBA Kevin Love e DeMar DeRozan recentemente vieram a público revelando problemas pessoais desta natureza. O grande objetivo da psicologia esportiva é justamente promover a saúde mental e o bem-estar para que os atletas possam desempenhar melhor o seu papel durante as competições.

A rede social dos esportes

Agora que você entende a importância da psicologia no esporte, que tal conhecer uma plataforma que permite a interação de todos os tipos de profissionais atuantes no esporte e possibilita novas oportunidades? É a AtletasNOW, um grande networking esportivo que abre portas para todas as pontas no esporte. Clique aqui para se cadastrar e junte-se a este grupo!

About the Author

By admin / Administrator, bbp_keymaster on out 27, 2018